sábado, 8 de julho de 2017

Era uma vez no outono

Título: Era uma vez no outono
Título Original: It happened one autumn
Autora: Lisa Kleypas
Série: As quatro estações do amor - #2
Editora: Arqueiro
Ano: 2016
Páginas: 283
Livro: Skoob
Sinopse:
A jovem e obstinada Lillian Bowman sai dos Estados Unidos em busca de um marido da aristocracia londrina. Contudo nenhum homem parece capaz de fazê-la perder a cabeça. Exceto, talvez, Marcus Marsden, o arrogante lorde Westcliff, que ela despreza mais do que a qualquer outra pessoa.
Marcus é o típico britânico reservado e controlado. Mas algo na audaciosa Lillian faz com que ele saia de si. Os dois simplesmente não conseguem parar de brigar.
Então, numa tarde de outono, um encontro inesperado faz Lillian perceber que, sob a fachada de austeridade, há o homem apaixonado com que sempre sonhou. Mas será que um conde vai desafiar as convenções sociais a ponto de propor casamento a uma moça tão inapropriada?

Em Segredos de uma noite de verão, quatro amigas decidem que está na hora de reverter a situação amorosa na qual se encontram, que é exatamente nenhuma.

Annabelle casara-se com Simon Hunt sob uma paixão inebriante e, por ordem de idade, Lilian Bowman era a próxima mais velha a ser ajudada a encontrar o seu grande amor. Mas será que ele estaria disposto a dar as caras? Será que ele era o cavalheiro príncipe encantado, ou estaria mais para um sapo?

Lilian nem pensava muito na questão, na verdade. Sabia que homem algum aceitaria seus modos depravados, e estava certa de que não mudaria apenas para agradar os pretendentes. Muito menos mudaria para agradar Marcus Marsden, o lorde Westcliff, que parecia particularmente incomodado e deslocado ao lado de Lilian.

Ela se comportava de todas as maneiras possivelmente erradas e que Westcliff detestava. Ainda assim, não pôde se conter ao vê-la jogando rounders com os mordomos. Tão errada e tão certa para ele. Pouco tempo depois, se torna inevitável beijá-la. Westcliff deseja cada parte de Lilian para si. Ele parte como um louco selvagem para cima dela, e não entende como fez uma coisa daquelas.

Mas Lilian sabe o porquê. Sempre teve um faro único para perfumes. Ela podia adivinhar seus componentes dentro de segundos. Assim, pediu ao senhor fabricante para misturar determinados elementos e criar o perfume perfeito. Ele não só assentiu, como também acrescentou a famosa dama-da-noite.

Era isso.

Lilian sabia que a flor tinha um poder mágico e atiçaria qualquer homem quando usasse o perfume. Ela finalmente conseguiria arranjar um marido. Mas então porque só parecia surtir efeito em Westcliff? E porque ele precisava ser tão desprezível e irresistível?


Ao longo da história, acompanhamos a amizade/inimizade de Lilian e Westcliff crescendo. Eles se sentem terrivelmente atraídos um pelo outro, mas jamais imaginariam que a birra entre eles poderia se tornar algo bem mais valioso e forte.

No meio do caminho, aparece St. Vincent para deixar o coração de nossa protagonista balançado. Apesar de sua reputação, ele é gentil e prova ter mais chances de aceitá-la do que Westcliff, cuja esposa teria de seguir estritamente as regras das formalidades, exatamente o contrário do que Lilian preconiza a si mesma.

É a primeira vez que vejo um triângulo amoroso em um romance de época. Geralmente eles me tiram do sério, mas esse foi bem calmo e distante, não dá nem para cogitar a possibilidade, e Lilian não fica naquela indecisão infernal como a maioria das mocinhas disputadas. Ela é determinada e independente.

O ambiente e a construção dos personagens nesse volume foi maravilhosa; não pecou em detalhe algum. A edição da Arqueiro, então, nos deixa babando nessa capa.

No final, temos um epílogo com Evie, nossa próxima protagonista, e no embalo já é apresentado quem será nosso cavalheiro (ou nem tanto) da vez. O último falará sobre Daisy, a irmã de Lilian.

Logo mais teremos resenha do terceiro e quarto volume por aqui. Já posso adiantar que a história de Evie é tão maravilhosa quanto a de Lilian.

Nota: 5


Sobre mim: Carolina Rodrigues, 22 anos, biomédica. Adora dançar e ir pra praia, mas o que a faz realmente feliz é poder passar um dia inteiro lendo, vendo séries, escrevendo histórias ou ouvindo música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário